• O Movimento Paraná Sem Corrupção pretende envolver toda a sociedade no combate à corrupção. Todo cidadão pode participar, incentivando práticas e atitudes positivas, que contribuam para o fortalecimento da honestidade do povo paranaense. No dia a dia, na comunidade, na escola, no trabalho... nos mais diferentes grupos e lugares, é possível dizer não à corrupção, fazendo simplesmente o que é correto e melhor para todos. Nesse movimento, a sua atitude conta muito! Participe.                  Saiba mais...
      
  • Participe
  • Denuncie
  • Parceiro

Movimentos:

  • Rede de Proteção da Gestão Pública
  • Parceiros
  • bate papo interativo

     
    Nos acompanhe pelo:

  • Facebook
  • twitter
  • Youtube
  • Google +

Notícias

18/11/2013

Corrupção é uma barreira no crescimento da América Latina, afirma conselheiro da ONU

Corrupção é uma barreira no crescimento da América Latina, afirma conselheiro da ONU

Formação de parcerias foi apontada como medida para empresas combaterem a corrupção de forma coletiva.

Economia, impunidade e corrupção são os três fatores que devem ser melhorados na América Latina para que ela possa acompanhar o crescimento econômico e de desenvolvimento humano que enfrenta. O alerta foi feito pelo Conselheiro Regional para a América Latina e Caribe do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Gerardo Berthin, durante o painel “Parcerias no combate à corrupção”, no Fórum Transparência e Competitividade, promovido pelo Sistema Fiep e pelo Instituto das Nações Unidas para Treinamento e Pesquisa (Unitar), em Curitiba. “Sozinhas, as empresas não vão conseguir combater a corrupção, é necessária uma ação coletiva”, explica Berthin, citando quatro níveis de parceria: individual, institucional, setorial e coletiva.

Compreender as orientações dos órgãos de controle do poder público, dialogar sobre as lacunas na relação público-privada e explorar quais são as possíveis alianças no combate à corrupção foram os outros temas abordados pelos integrantes do mesmo painel.

O debate, mediado pela jornalista do canal Globo News, Mônica Waldvogel, teve a participação do coordenador do Movimento Paraná Sem Corrupção; Eduardo Cambi; do Gerente de Políticas Públicas do Instituto Ethos, Caio Luiz Carneiro Magri e do presidente do ISAE/FGV e presidente do Chapter Brasil do Principles for Responsible Management Education(PRME), Norman Arruda.

Arruda lembrou que o esgotamento da população com práticas corruptas levou a um engajamento coletivo e que a educação é uma das vertentes nesse combate. “Não se muda a cultura da corrupção só com um processo, decreto ou legislação, mas com educação”, defendeu.

Para Caio Magri, do Instituto Ethos, as leis servem de orientação do que não fazer nas empresas. Porém, ele afirma que espaços de debate, como esse do Fórum, têm função pedagógica nesse enfrentamento. “Não adianta ter apenas órgãos só de controle e pressão, são necessárias mudanças que induzam a uma mudança de comportamento”, destacou. “O corrupto não existe sem o corruptor. É preciso combater a impunidade e educar para o exercício da cidadania”, disse Eduardo Cambi, do Movimento Paraná Sem Corrupção.

~ui

Fonte: http://www.agenciafiep.com.br/noticia/corrupcao-e-uma-barreira-no-crescimento-da-america-latina-afirma-conselheiro-da-onu/

Arquivo anexado:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.